A Novella Happily Ever After de Kiera Cass

quinta-feira, 18 de janeiro de 2018

Happily Ever After é uma novella que pertence à série A Selecção de Kiera Cass e é, no seu todo, um livro bonito. Os capítulos estão bem definidos e cada conto/microhistória tem uma nota da autora que nos dá a conhecer um pouco do seu processo criativo. Há ilustrações belíssimas, mas não as suficientes e enganem-se aqueles que pensam que é uma continuação. Happily Ever After é uma compilação de novellas, epílogos e extras dos três primeiros livros da colecção - A Seleção, A Elite e A Escolha, pequenas cenas que não entraram nos livros que chegaram às mãos do leitor.
Não é um livro que possam ler em separado como um stand alone pois para serem capazes de compreender a totalidade dos acontecimentos ou para serem varridos por uma onda de emoção e nostalgia é preciso lerem os três primeiros trabalhos da autora, caso contrário nada faz sentido.
No fundo, Happily Ever After é um livro que de certeza que vai fazer maravilhas e vontades aos mais devotos à história de Kiera Cass. E eu sou uma dessas pessoas. Não sabia que precisava deste livro até o ler. 
Love only yourself a little bit longer, until you can't stand not to love someone else.
Por algum motivo, apesar de ver cada um dos defeitos e buracos na história de America e Eadlyn não consigo deixar de gostar e de apreciar as situações e as emoções que a autora proporciona. É uma escrita que vicia pela sua simplicidade e, por vezes, estupidez. Os extra foram maravilhosos, sendo o último o The Bónus Epilogue o meu preferido, seguido de perto pela novella The Queen. Foi desolador, simultaneamente interessante e dubiamente emocional conhecer a história que levou à existência do príncipe Maxon. No entanto, a autora, para além de todos os extras, pode ter - ou não - caído no erro da repetição. A maioria das cenas bónus desenvolvem-se ao redor de um momento particular de A Elite que mudou a linha de pensamento da protagonista e, apesar de ser mostrada a partir de pontos de vista diferentes, o que acaba por dar a conhecer ao leitor a personalidade e o coração de outros personagens pode - e é - repetitivo a um nível profundo porque, enquanto leitores, estamos a ver o mesmo momento, uma e outra vez - apenas a companhia é diferente. Esta repetição também teve um ponto positivo: fez com que o momento parecesse mais real. Estes foram momentos de leitura estranhamente fascinantes porque apesar de já conhecermos o desfecho, não sabíamos como é que os outros tinham chegado lá. 
Com Happily Ever After, Kiera Cass expandiu o mundo que criou. Talvez não ao nível estrutural que a meu ver era necessário para melhorar as explicações dos acontecimentos nos livros anteriores, mas o suficiente para dar uma maior profundidade a personagens mais secundárias e talvez menos apreciadas pelos leitores. Foi uma leitura muito fácil e muito divertida que sei que vai fazer os encantos daqueles que, como eu, apreciam a beleza da história de America Singer.

E vocês? Quem é que já leu? Sentiram o mesmo? Qual foi a vossa novella preferida? Digam nos comentários em baixo!

Postar um comentário

Muito obrigado pelo comentário!
Eu respondo a todas as mensagens deixadas, pelo que se queres ter a certeza de ver a resposta, não te esqueças de deixar colocada a opção de "notificações".
Boas leituras!