As diferenças entre O Coração de Simon e Os Altos e Baixos do Meu Coração de Becky Albertalli

sexta-feira, 26 de outubro de 2018



Penso que é seguro dizer que O Coração de Simon Contra o Mundo foi um dos livros mais falados no ano do seu lançamento. O livro e a sua respectiva adaptação cinematográfica derreteram coração e fizeram correr muitas lágrimas e, a verdade, é que trata-se de uma história importante e profunda em mais do que um sentido mas, admito que na minha primeira leitura, nada senti. Ao reler o livro pela segunda vez para um desafio de uma maratona literária, re-descobri Simon e senti uma maior afinidade e compaixão pela sua história, o que comprova que por vezes há livros que pura e simplesmente têm de ser lidos nos momentos certos.
White shouldn't be the default any more than straight should be the default. There shouldn't even be a default.
O género contemporâneo não é o meu preferido, mas por vezes, é um alívio à constante complexidade da fantasia ou da ficção científica e, com a história de Simon, senti que a autora criou algo especial. Uma história realista e cujos intervenientes possuem mais do que duas camadas de profundidade, com defeitos e qualidades que, enquanto leitores, somos capazes de reconhecer por entre uma acção ou um diálogo, não sendo dado como uma descrição ou um facto, algo que aprecio durante a leitura. A quantidade emocional que a autora forneceu também foi a suficiente para não ultrapassar o limite da infodump e para satisfazer a curiosidade do leitor.
Não posso em momento algum comentar quando à veracidade da representação da comunidade homossexual do livro mas posso afirmar que senti a história como um momento educativo pois, como tantas outras pessoas, vejo e compreendo melhor o mundo à minha volta através das páginas dos livros e ao conhecer o mundo de Simon Spier consegui empatizar com as suas dificuldades e emoções. Acho que a verdadeira falha do livro é o de não ter um início ou um final mais pungente e marcante pois num mundo onde, apesar de tudo, a tolerância e a aceitação existem, mostrou muito pouco da verdade para lá do assumir quem sou
Because I have to admit: there's something really badass about truly, honestly not caring what people think about you.
Por outro lado, Os Altos e Baixos do Meu Coração de Becky Albertalli foi, à falta de melhor palavra, uma leitura interessante. Sinto que a autora conseguiu, em parte, colocar nas páginas a verdade que existe na cabeça e no coração de grande parte das jovens. Fê-lo de modo cru e as descrições detalhadas das emoções, as metáforas ou as repetições ajudaram a criar a sensação de estar directamente na cabeça da protagonista, Molly, uma rapariga de dezassete anos, pois ser jovem implica que, a maior parte dos problemas, parecem o fim do mundo. E a autora conseguiu representar isso muito bem. Por outro lado, apesar de ter genuinamente apreciado esse realismo, senti, simultaneamente uma brecha muito grande entre a minha pessoa e o livro. No fundo, faltava alguma coisa e demorei algum tempo - a totalidade do livro - a perceber o que era - faltava conteúdo.
Os Altos e Baixos do Meu Coração não possui uma linha de acção específica e o culminar da história é rapidamente dado no início do livro e todo o enredo acaba por ser bastante previsível, o que perde metade da piada. E não, não acredito que esta sensação de distanciamento esteja relacionado com a minha idade, mas antes com a forma como a autora decidiu contar a história, dando primazia à ausência de relações ao invés de desenvolver e de explorar tópicos mais interessantes. Não consegui ligar-me às personagens e, senti que há excepção das duas irmãs, todas as outras relações e interações eram muito superficiais, incluindo a relação com as mães, e mesmo as próprias personagens mais secundárias não possuíam profundidade para que me importasse com elas o suficiente para querer saber o que lhes acontecia. Para além disso, o romance também apareceu forçado e não senti que houvesse uma evolução natural, ao contrário do que aconteceu com Simon. 
So, maybe I should let my heart break, just to prove that my heart can take it.
Os Altos e Baixos do Meu Coração é um livro, uma epopeia, à relação entre duas irmãs e foi o que deu um maior relevo à história, possibilitando momentos de alegria, tristeza e até ligeiros momentos de empatia para com a protagonista. Por outro lado, apesar da autora ter criado uma relação forte e muito realista entre as duas gémeas, não fui a maior adepta da personalidade influenciável de Molly mesmo nas coisas mais simples. Tal como O Coração de Simon é um livro fofo mas não tão importante e, como referi, é, no fundo, uma ode à ligação que existe entre duas irmãs apesar de ter-me sido vendido como um romance adolescente. A diversidade que existe também foi um bónus e gostei bastante da exploração que a autora fez da homofobia e do fat shamming, tópicos que gostava de ter visto mais explorados, visto que parte deles vieram inclusivamente da parte da própria família. A ausência de um conteúdo próprio não me deixou aproveitar a leitura como desejava e, embora fosse um livro há muito na minha TBR, apesar dos pontos mais fracos, não me arrependi de o ler.


E vocês? Leram os dois? Qual é o vosso preferido? Digam nos comentários em baixo!

2 comentários

  1. Eu gostei imenso deste livro, preferi este ao Coração de Simon. Consegui identificar-me imenso com a Molly e gostar da personagem, dos meus livros preferidos deste ano! Quero imenso que a Porto Editora traga mais livros da Becky, gosto imenso da escrita dela!

    Beijinhos!

    http://thelittleangieblog.blogspot.com/
    http://projectnove.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também gostei da escrita mas admito que não gostei assim TANTO da história. Mas, claro, não me oponho a mais livros ;)
      muitos beijinhos!

      Excluir

Muito obrigado pelo comentário!
Eu respondo a todas as mensagens deixadas, pelo que se queres ter a certeza de ver a resposta, não te esqueças de deixar colocada a opção de "notificações".
Boas leituras!