Tecnologia do Blogger.

| Review | A Gata Branca de Holly Black

Cassel Sharpe é um jovem de dezassete anos que deseja ter uma vida normal. Mas quando se nasce numa família com uma forte tradição em manipulação de maldições que agem negativamente sobre o destino, o corpo e a memória, como é o seu caso, a normalidade não é algo fácil de alcançar. Cassel vive ensombrado pela ameaça aterradora de, a qualquer momentos, os poderes maléficos que correm na sua família se manifestarem também em si. Por diversas vezes, a sua vida é posta em risco quando, em sucessivos episódios de sonambulismo, passeia pelos telhados do colégio interno que frequenta. De volta a casa, os seus receios aumentam com o reavivar de memórias passadas e torna-se cada vez mais claro para Cassel que um tenebroso segredo familiar ameaça destruí-lo. Desejoso de perceber quem realmente é, o jovem inicia uma autêntica cruzada de autodescoberta, confrontando-se com traumas dolorosos à medida que estranha e enigmáticas personagens atravessam o seu caminho, levando-o a enfrentar perigo cada vez maiores. 
Holly Black não é uma autora propriamente anónima tendo já publicado as aclamadas Crónicas de Spiderwick; no entanto, para além de A Prova de Ferro, escrito em co-autoria com a autora Cassandra Clare, não possuía nada seu e A Gata Branca foi o primeiro livro seu a solo ao qual meto as mãos.  Só tinha ouvido coisas boas sobre a sua escrita e sobre as suas histórias e apesar de esta ser uma segunda leitura, admito que gostei bastante e fui novamente surpreendida pela positiva. 
Clever as the Devil and twice as pretty. 
A Gata Branca é um livro original na construção do seu universo, com personagens muito bem desenvolvidas, com dilemas reais e com questões que obrigam o leitor a questionar a sua própria moral e valores. É, essencialmente, um livro de vigarices rodeado por uma aura de mistério metaforizado no protagonista, Cassel Sharpe, filho de manipuladores e um vigarista de sangue.
A magia de Holly Black em A Gata Branca é muito simples. Os especialistas ou os manipuladores têm a sua magia, muito própria, num sistema inovador. A forma da autora explorar este novo tipo de poder foi uma das minhas coisas preferidas e foi uma lufada de ar fresco. A autora criou uma hierarquia muito específica e a linha entre os manipuladores e os não-manipuladores está muito bem estabelecida e quando se lê A Gata Branca é quase como se já conhecêssemos o mundo de antemão. É muito fácil afundar-mo-nos no mundo de Cassel onde um toque de dedos pode ser o suficiente para matar uma pessoa. As questões emocionais ou morais que são exploradas no livro foram feitas de modo real e respeitosa e gostei sobretudo da forma como a autora usou o preconceito e o medo para avançar na história, usando-o como motor para as acções mais maldosas ou para as piores vigarices.
O núcleo de personagens de A Gata Branca também é muito diverso e interessante. As personagens secundárias não são esquecidas como acontece em muitos livros e têm um papel fundamental para o executar da acção. Já o protagonista é um jovem de dezassete anos realisticamente retratado, imprevisível, mentiroso e vigarista. O único ponto menos positivo de toda a história é a sua  previsibilidade, sobretudo quando o livro é aprofundado e quando começamos, lentamente, a compreender o sentido do jogo que Cassel começa a aprender a jogar. No fundo, apesar de a história nos levar a acreditar numa coisa, a autora dá-nos pistas do óbvio.
I can't trust the people I care about not to hurt me. And I'm not sure I can trust myself not to hurt them, either.
A narrativa flui na perfeição ao longo de todo o livro e o final, apesar de doloroso, vai de acordo ao que aprendemos ao longo das páginas. O ritmo, um pouco mais lento que o habitual, é necessário pois permite uma total e completa compreensão do mundo do protagonista e dos personagens que o rodeiam. A Gata Branca é um livro repleto de dúvidas e perguntas, sendo uma jornada pela verdade e pelo que verdadeiramente importa. É uma história rica em detalhes, com mais uma forma de enganar e de mentir a cada página. O primeiro de uma trilogia que estou desejosa de continuar.



E vocês? Quem é que já leu? 
Digam nos comentários em baixo!

2 comentários

Muito obrigado pelo comentário!
Eu respondo a todas as mensagens deixadas, pelo que se queres ter a certeza de ver a resposta, não te esqueças de deixar colocada a opção de "notificações".
Boas leituras!