| Review | A Cidade dos Anjos Caídos de Cassandra Clare

terça-feira, 19 de fevereiro de 2019

Foto com Parceria da Joana Nunes da Panemic Books
A Guerra Mortal acabou e Clary Fray está de regresso a casa, em Nova Iorque, entusiasmada com o que o futuro lhe reserva. Está em treino para se tornar uma Caçadora de Sombras e saber usar o seu poder único e a mãe casar-se com o amor da sua vida. Os Habitantes-do-Mundo-à-Parte e os Caçadores de Sombras estão, finalmente, em paz. E, acima de tudo, Clary já pode chamar «namorado» a Jace. Mas tudo tem um preço. Anda alguém a assassinar os Caçadores de Sombras que pertenciam ao círculo de Valentine, provocando tensões entre os Habitantes-do-Mundo-à-Parte e os Caçadores de Sombras, o que pode levar a uma segunda guerra sangrenta. O melhor amigo de Clary, Simon, não pode ajudá-la. Descubra o porquê.

Depois dos acontecimentos de A Cidade de Vidro, Cassandra Clare queria escrever sobre a vida de Simon Lewis e respectivas aventuras mas, como escrever sobre um elemento essencial de A Cidade dos Ossos, A Cidade das Cinzas e A Cidade de Vidro sem mencionar os restantes personagens? A Cidade dos Anjos Caídos surge como uma forma de dar continuidade à história de Os Instrumentos Mortais e responder a perguntas que ficaram em aberto mas, desde a primeira página que é óbvio que Clary Fray não é necessariamente o elo principal da história. Os pontos de vista (POV) são mais do que muitos e Simon Lewis, tal como era a vontade da autora, conquista o papel de personagem principal pela sua condição única no Mundo das Sombras, tornando-se mais relevante do que nunca. 
Hearts are breakable.
A Cidade dos Anjos Caídos é, para mim, o livro menos interessante de toda a série de Os Instrumentos Mortais e muito deste aborrecimento para com o quarto volume da série deve-se à falta de desenvolvimento da história e da acção, sobretudo por parecer uma nova introdução a um mundo que já nos é familiar. As próprias descrições e diálogos - talvez pela tradução - são um passo atrás daquilo que vimos na trilogia de As Origens ou até em A Cidade de Vidro. Há uma sensação de infantilidade descritiva nos capítulos iniciais que em nada se comparam às frases e descrições arrebatadoras a que a autora já nos habituou. 
A Cidade dos Anjos Caídos também apresenta uma separação de realidades e de personagens muito grande e da qual não fui a maior adepta. Esta divisão, provocada pelos acontecimentos finais de A Cidade de Vidro, mostra as claras faltas de comunicação que já é tão comum e tão repetida nos livros Young Adult e que só têm como consequência a tragédia. Não é uma separação exclusiva ao casal protagonista mas a todos, incluindo os secundários, pois embora haja novas relações a desenvolverem-se, o que dá oportunidade de apresentar novos personagens, há uma falta de relação entre personagens importantes. A que me fez ficar mais incomodada - sobretudo depois de ler As Origens, - foi a relação e a dinâmica entre Jace e Alec. 
Still I pictured having you for fifty, sixty more years. I thought I might be ready then to let you go. But it's you, and I realize now that I won't be anymore ready to lose you then than I am right now. Which is not at all.
Para mim, o melhor de A Cidade dos Anjos Caídos foi a possibilidade de realce de personagens até agora secundários, como Isabelle Lightwood e dos elos com o passado e com o macabro. A presença fortíssima de Magnus e de Camille recuperou muito da minha atenção mas continuo a achar que é um livro que deixa demasiado em aberto e que não chega a responder a grande parte das perguntas, não havendo realmente uma justificação para certas frases ou momentos, sobretudo no que toca à mítica Marca de Caim e ao porquê de ser uma maldição. Senti que neste quarto volume, houve uma quantidade anormal de matéria que serviu apenas para ocupar espaço. No geral, achei que A Cidade dos Anjos Caídos foi um livro muito anti-climático e sem graça nenhuma.  





E vocês? Também acharam o mesmo? Qual é o vosso livro menos preferido de toda a série? Digam nos comentários em baixo!

Postar um comentário

Muito obrigado pelo comentário!
Eu respondo a todas as mensagens deixadas, pelo que se queres ter a certeza de ver a resposta, não te esqueças de deixar colocada a opção de "notificações".
Boas leituras!