6 Coisas Que Não Nos Dizem Sobre o Dia do Nosso Casamento

sexta-feira, 26 de julho de 2019


Ser uma noiva não foi algo que me passasse pela cabeça ou que, muito sinceramente, pensasse ou desejasse desde que era criança, muito pelo contrário. Não fui uma dessas meninas. Mas a verdade é que ver-me representada nesse papel foi simultaneamente excitante e aterrorizador. O noivado foi um dos períodos mais divertidos e stressantes da minha - ainda curta - vida e, naquele dia és o centro das atenções, as desejadas e as indesejadas e não há como fugir porque não queres ser indelicada. Tinham-me prevenido para isso, e para um milhar de outras coisas, mas a verdade é que vais consumindo o dia um passo de cada vez, conquista a conquista. Os nervos são terríveis pois desejas que o dia seja inesquecível e que ultrapasse todos os teus sonhos - sonhos esses que, no meu caso, nem sequer sabia que os tinha. 
O meu casamento foi num dia perfeito de Junho, no meio de uma dezena deles que foram chuvosos. O que considero um autêntico milagre meteorológico. Ao olhar para trás, ainda sem as fotografias e os vídeos dos fotógrafos e videógrafos, recordo um dia perfeito de risos e de felicidade que espelhava o amor que estava na sala - o amor entre nós e dos convidados para nós. No entanto, digo, do fundo do meu coração, de que tudo aquilo para o qual me preparei, tudo o que me avisaram que podia acontecer, passou-me ao lado, varrido pelo meu cérebro contaminado de emoções saltitantes de  nervos e alegria. 

#1 Há sempre alguma coisa que não corre como planeado. 

É a verdade. E há que estar em paz com esta realização. Para algumas meninas, a ideia de que algo pode correr menos bem é uma causa enorme de ansiedade, sobretudo nos dias anteriores mas, prometo que no dia, se vocês se rodearem das pessoas certas, a vossa alegria vai ser tão grande que os problemas nunca vão parecer grandes o suficiente ou sequer relevantes. É quase como se estivessem dormentes a qualquer coisa que não seja feliz. É uma emoção estranha mas bem-vinda e que só podia desejar sentir mais vezes. 

#2 Vão dizer que comem, mas na verdade, não comem coisa nenhuma. 

Esta é uma daquelas que TODOS os noivos ouvem por parte dos familiares ou até mesmo do STAFF da quinta onde a cerimónia irá decorrer. Nós estávamos convencidos de que íamos comer. Escolhemos as ementas com tanto cuidado e a comida era de tal forma deliciosa (na degustação) que acreditávamos veementemente que íamos devorar as refeições. Pois bem, não aconteceu. Ele conseguiu comer, com esforço a sua comida, ao passo que a minha pessoa nem sequer conseguiu ingerir um prato completo. A fome é daquelas sensações que pura e simplesmente desaparecerem no dia. 

#3 Todos os pormenores que acharam que eram importantes de planear, não o são e, na maior parte das vezes, vocês nem lhes prestam atenção.  

Todas as horas passadas a planear o dia ao mais pequeno pormenor resultam na não-visão de tudo aquilo que planearam em casa com tanto cuidado. São de tal modo arrastados de um lado para o outro, movidos pela adrenalina do dia que não têm tempo de admirar com atenção os centros de mesa, os planificadores, as identificações das mesas, a decoração ou de prestar atenção à musica que está a passar no momento. Podem planificar com amor e com a ideia de que se coaduna com o tema que criaram mas não se convençam de que outros podem dar a mesma atenção ou até mesmo que vocês lhes darão atenção. 

#4 Ninguém dá valor às lembranças.

E não me convencem do contrário. É algo que nos consumiu trabalho e tempo e que só valeu pelo tempo investido pela forma como se inseria na nossa temática rústica, porque ao nível de valorização, houve muita pouca, perto do zero. Havia quem as deixasse em cima das mesas, esquecidas. Quem não as levou para casa. E não estou a julgar. Penso que posso ter feito o mesmo nos casamentos aos quais fui convidada. É uma daquelas tradições que não faz o mínimo de sentido mas que as pessoas continuam a achar por bem fazer. Mas não se enganem. Façam algo simples, barato, pouco consumidor de tempo porque vão ser os únicos a valoriza-las. 

#5 Os fotógrafos e videografos não têm de monopolizar o vosso dia. 

Por muito importante que seja para você terem recordações físicas do dia, seja em formato de fotografia, seja em vídeo, não deixem os fotógrafos e videógrafos monopolizar a vossa atenção. Escolham pessoas ou uma equipa em quem confiam e que sejam excelentes a captar os momentos naturais. No nosso casamento, estabeleci que iria haver APENAS trinta minutos para as chamadas fotografias de família e seriamos nós a escolher os locais ao longo da quinta, pois não queria fotografias todas iguais. Do mesmo modo, estabeleci que haveria APENAS vinte minutos para as fotografias tiradas entre os dois. Tudo o resto, seriam momentos naturais captados através da lente de uma câmara e não forçados. Isto deu-nos tanta liberdade que nem posso começar a expressar a alegria que tenho por ter escolhido a equipa que escolhi e possibilitou-nos uma interação mais natural entre todos os que estavam presentes. 

#6 O casamento é para nós, não para os convidados. 

O casamento é a celebração do NOSSO amor e tudo o que escolhemos e que fizemos foi SEMPRE nos sentido de NÓS estarmos bem e confortáveis e só posso aconselhar o mesmo. Convidámos quem quisemos, sem qualquer imposição de família. Ficámos na mesa sozinhos. Estabeleci o limite de tempo com os fotógrafos. Impingi uma série de regras com o STAFF de forma a poder aproveitar o meu dia com o meu noivo, amigos e família. Tudo o que fiz e decidi não foi a pensar nos convidados, mas antes a pensar em mim. A decoração, o tema, as palavras escolhidas eram a pensar exclusivamente em mim. Antes, senti que os convidados eram espectadores daquilo que me ia na alma mas nunca, em momento algum, senti que o casamento era para eles, muito pelo contrário, pois há sempre aquele convidado que se acha a última bolacha do pacote e que DEVE ser controlado e chamado à atenção. A consideração pelos sentimentos alheios não foi algo com o qual me preocupei no dia e sabia que estava escudada pelo mais importante. Ele. 

O que aprendi com toda esta experiência é a de que somos uma equipa e a de que o seremos sempre. O dia do nosso casamento foi dispendioso e, para alguns, talvez desnecessário mas, para nós, foi uma celebração e um dos dias mais felizes das nossas vidas e sobre o qual vamos para sempre recordar com todo o carinho e amor. Tivemos a sorte incomensurável de escolhermos equipas fantásticas a todos os níveis e, embora nem tudo tenha corrido como planeado, foram os pequenos percalços que deram outro tom à nossa história. A todas as futuras noivas, só posso desejar-vos que tenham a sorte que tive e que se lembrem de que o dia é vosso para fazerem o que bem entenderem e que é importante lembrarem-se que nesse dia, vocês são o mais importante e não devem nunca dar atenção à opinião alheia sobre como devem fazer as coisas. Oiçam o vosso instinto pois posso confiar-vos de que ele está certo. Alguma dúvida ou curiosidade, é só mandar mensagem ou e-mail.

E vocês? O que acharam da publicação? Gostariam de ver mais coisas sobre o casamento? Digam nos comentários em baixo!

2 comentários

  1. Ahhhhhhhhhhhhh que lindo!!!!
    Parabéns!!
    Essa dos fotógrafos acho que é a principal no meu futuro casamento, não quero andar preocupada com fotos, quero é divertir-me xD

    ResponderExcluir

Muito obrigado pelo comentário!
Eu respondo a todas as mensagens deixadas, pelo que se queres ter a certeza de ver a resposta, não te esqueças de deixar colocada a opção de "notificações".
Boas leituras!