Qual o Melhor as Crónicas de Bane ou Tales From The Shadowhunter's Academy

sexta-feira, 19 de julho de 2019


 As Crónicas de Bane 
Cassandra Clare, Sarah Rees Brennan e Maureen Johnson 
Passado em diversos países e períodos históricos, Magnus Bane com a sua personalidade sedutora, estilo exuberante e inteligência resolve problemas e interage com Clary, Tessa, Will e Alec, de Caçadores de Sombras e As Origens.
Tales From The Shadowhunter's Academy
Cassandra Clare, Sarah Rees Brennan, Maureen Johnson e Robin Wasserman
Ten illustrated stories following the adventures of Simon Lewis, star of The Mortal Instruments, as he trains to become a Shadowhunter. Simon has been a human and a vampire, but after the events of City of Heavenly Fire left him stripped of his memories, he isn't sure who he is any more. When the Shadowhunter Academy reopens, Simon throws himself into this new world of demon-hunting, determined to find himself again. Whomever this Simon might be... Join him on his journey to become a Shadowhunter, and learn about the Academy's illustrious history along the way, through guest lecturers such as Jace Herondale, Tessa Gray, and Magnus Bane. 
Para qualquer fã da autora Cassandra Clare, As Crónicas de Bane ou o Tales From The Shadowhunter's Academy são óptimas adições à coleção. Nenhum dos livros é completamente essencial à compreensão das histórias - seja Os Instrumentos Mortais, As Origens ou os Artifícios Negros - mas são complementos muito bem executados à vida e à evolução de determinados personagens pois algo que é importante referir de antemão é que, embora pareça, nenhum deles possui exclusividade e muitos dos contos mergulham profundo na vida de outras personagens para além daquelas que teoricamente dão vida ao livro - Magnus Bane e Simon Lewis. 
Para mim, Tales From The Shadowhunter's Academy foi uma história mais forte e bem executada no seu arco total pois embora As Crónicas de Bane possua contos muito interessantes, começou de forma muito fraca o que desencorajou o resto da sua leitura. What Really Happened in Peru e The Dunaway Queen   não têm a escrita enigmática, quase poética de Cassandra Clare e pareceram-me quase infantis e até mesmo despropositados, quase como se não houvesse qualquer razão para a sua existência, à excepção de mostrar a relação entre Magnus Bane, Ragnor Fell e Catarina Loss.
I think sometimes it's too hard to believe in yourself. You just do the things you're not sure you can do. You just act, in spite of not being certain. I don't believe I can change the world--it sounds stupid to even talk about it--but I'm going to try.
Tales From The Shadowhunter's Academy é um livro mais coeso, com um princípio, um meio e um fim. Há uma passagem temporal significativa e existe uma evolução dos personagens. Simultaneamente a carga emocional é muito maior pois, dado o fim de A Cidade do Fogo Celestial, lidamos com a perda e aquilo que ela significa para o amor e para a amizade e com a própria noção do que é ser um herói. Tudo isto ao mesmo tempo que aprendemos mais sobre outros personagens passados e futuros. E aqui, muito parecido ao que acontece com As Crónicas de Bane, com a apresentação da pequena Clary a Magnus, conhecemos momentos-chave, tal como a cerimónia parabatai entre Julian e Emma.
Em termos da escrita As Crónicas de Bane pareceram-me estar mais afastados daquilo que é naturalmente a escrita de Cassandra Clare e conseguia perceber a voz - ou a mão, depende da perspetiva - dos outros autores. Já em Tales From The Shadowhunter's Academy não tive tanta dificuldade em perceber a voz da autora e isto fez-me gostar mais do livro pois era-me familiar. Houve uma melhor sintonia entre as mãos que escreveram os contos.
You are the flame that cannot be put out. You are the star that cannot be lost. You are who you always have been, and that is enough and more than enough. Anyone who looks at you and sees darkness is blind.
Mas, simultâneo a isto, o próprio espaço mental do "protagonista" é exponencialmente mais interessante em Tales From The Shadowhunter's Academy. Há dúvidas que são resolvidas com o tempo. Não existem saltos temporais muito grandes - décadas e séculos - para termos soluções ou uma melhor compreensão daquilo que aconteceu. E este foi um dos meus aspectos favoritos. Em Tales From The Shadowhunter's Academy há também o aparecimento de personagens secundários mais complexos e definitivamente mais interessantes e sobre os quais é divertido ler. Há personalidades que se debatem e que criam uma dinâmica diferente daquela que existe em As Crónicas de Bane. 
Ambos os livros possuem histórias muito fortes, no entanto, no seu todo, Tales From The Shadowhunter's Academy é um livro mais coeso onde os pontos fortes brilham mais vezes e com mais intensidade. As Crónicas de Bane parece-me perdido, por vezes, querendo mostrar uma mensagem que passa de modo quase deficiente, como da Aliança entre os Habitantes do Mundo-à-Parte. Houve uma sensação de infantilidade inerente a alguns dos contos que definitivamente não gostei pois na sua maior parte Cassandra Clare debate-se com temas fortes, adultos e importantes e a mudança para algo infantil não me agradou por aí além. Porém, sem dúvida que recomendo a leitura de ambos os livros pois, à sua própria maneira, ambos dão mais para as histórias e acrescentam conhecimento do Mundo das Sombras, o que nunca é demais.

E vocês? Também acharam o mesmo? Dos dois, qual o vosso preferido? Digam nos comentários em baixo!

Postar um comentário

Muito obrigado pelo comentário!
Eu respondo a todas as mensagens deixadas, pelo que se queres ter a certeza de ver a resposta, não te esqueças de deixar colocada a opção de "notificações".
Boas leituras!